sábado, 17 de setembro de 2016

Paralympic Games - Rio 2016

Verdade seja dita, eu nunca dei muita bola para o assunto "Olimpíadas", muito menos estava empolgada com os Jogos Olímpicos que aconteceriam no Rio neste ano (nem fiquei aqui no período, pra começar...) Não fiz questão, sabe?

Mas, aí, não sei, primeiro, quando vi a abertura achei es pe ta cu lar (puramente artístico, sabemos, mas tá, já fiquei empolgada)
Depois vendo os jogos pela TV, parece que o bendito e famoso espírito olímpico me atingiu e comecei a pensar por qual razão nunca tinha dado uma chance pros colegas? 
OK. Tem vários esportes que eu não curto jogar, mas, assistir estava sendo bacana, confesso.
Imaginei então, que ver ao vivo poderia ser uma experiência super válida... 
Tirando o fato da cidade estar completamente minada de pessoas de inúmeros países diferentes! Quem me conhece, sabe que eu adoro uma amizade nova... Ainda mais se ela fala em espanhol rs
Amo meu país, qual o motivo de perder essa oportunidade que ele estava me dando?

Não, não, me arrependi de ter viajado e não ter acompanhado de perto os jogos, mas decidi que quando eu voltasse prestigiaria as Paralimpíadas. 

Agora que elas estão chegando ao fim, conto como foi.
Como diria Raul, eu prefiro ser essa metamorfose ambulante... e AINDA BEM que a gente tem esse direito de mudar/ de nos mudar/ de mudar de atitude.
Continuo não jogando e não sabendo as regras de vários esportes, mas quem liga!? 
O bom é se divertir, vibraaar, experienciar! 

08/09 - ATLETISMO - Estádio Engenhão  

15/09 - NATAÇÃO - Parque Olímpico da Barra

15/09 - GOALBALL - Arena do Futuro, Parque Olímpico da Barra
  
  Kamys e Fernandis

Parque Olímpico 

16/09 - TIRO COM ARCO - Sambódromo   

 Em alguns momentos, senti saudades dos comentários e explicações que temos nas transmissões (A Perdida) rs, em outros, como quando ficou frio, chovia e ventava muito no sambódromo, senti falta do meu sofá rs
Mas, tirando esses 'pequenos detalhes', foi uma experiência ímpar. 

Torci muito pra República Tcheca no Arco, que ficou com a prata (achei muito bom depois de acompanhar todas as eliminatórias poder ver a cerimônia de premiação!). Conheci chilenos, equatorianos, suecos, ingleses... (e descobri que meu inglês não é tão ruim quanto eu imaginava! UHUL!)
Gritamos pelo Brasil e silenciamos para assistir o Goalball, que aliás, foi uma novidade pra mim. 
ENFIM, só de presenciar as estruturas gigantes, todo o design criado, já vale a pena sair de casa, depois, ainda poder ver essas diferentes formas de superação, faz com que eu fique feliz de ter mudado de ideia.

#BeDiferent #BeBrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário